terça-feira, 12 de agosto de 2008

investimentos



Ela fazia anos e eu não estava nada inclinado ao gasto.
À ida reparei nas rosas junto de uma casita que é de um tipo que para lá vai a espaços, invariavelmente para apanhar uns pifos com os amigos, sempre a pretexto da caça e a uma distância segura da patroa. Na volta já me tinha decidido a roubar algumas.
Escolhi as melhores. Não eram mais de três e eram apenas suficientemente interessantes para terem merecido algumas tentativas de ingestão por parte da bicharada.
Não eram nem pareciam compradas, exactamente o efeito que eu pretendia.

Cada cavadela, cada minhoca: “Roubaste?”, perguntou ela muito excitada.
Excitada e macia.
Mas era avisada a minha disposição para a poupança.

Sem comentários: