quarta-feira, 12 de novembro de 2008

aviso


Se eu aí vou, os teus alcoólicos clientes farão a deferência de não abrir o bico. Saberão intuitivamente que não estou para brincadeiras e que partirei essa merda toda à menor contrariedade. Na melhor das hipóteses, deixarei que o pianista se retire com uma saudação silenciosa.
O tilintar das bocas, copos e vasilhames só será retomado quando a clientela vir os meus olhos a vaporizar o gelo no preciso momento em que se pousarem numa bailarina que por aí possa estar, não se saberá muito bem a fazer o quê.
Portanto, grita taberneiro, grita tudo agora.

4 comentários:

Bloga-mos disse...

A próxima rodada é por conta do taberneiro.

dutilleul disse...

O medo dá origem a coisas maravilhosas, é o que eu tenho a dizer-te, meu menino.

Bloga-mos disse...

Ai o caralhinho. Eu gosto mesmo de porrada assim tipo Howard Hawks, sem a parte paneleira. Óráite?

dutilleul disse...

A porrada macha que mencionas tem sempre um final apaneleirado.
Tem paciência.