sábado, 8 de novembro de 2008

painting by numbers



Hoje de manhã - sim, minhas pombinhas, eu não fico no bem-bom até à hora de almoço porque alguém tem de fazer alguma coisa para esta merda ir p’rá frente e o caralho - hoje de manhã, dizia eu, ao ver os vermelhos e amarelos dos plátanos lamentei-me da abundância de pinhos e eucaliptos que dão verdes excessivamente abundantes e completamente despropositados quando um gajo tem frio.

7 comentários:

indiavelha disse...

Olha! Um poste! E não é que ele ainda mexe?

Bloga-mos disse...

Lamento, não é mexer mas sim abanar. Quanto ao substancialmente premente...são choupos, Sr. Engenheiro, são choupos!

Bloga-mos disse...

Volto para ainda lamentar ter-me faltado a prosápia para a inclusão de uma caralhada ou duas. Com corda ao pescoço e tudo...

Anónimo disse...

Querida Índia,

se a menina diz que são choupos, é porque são choupos; a realidade só tem que se acomodar à percepção da minha querida.
Desconfio é que a menina toma por legenda aquilo que rabisquei quando, na realidade (cá está ela outra vez, a impertinente), a fotografia do cuco é que é a legenda do meu rabisco.
Com a mania que o amarelos dele são melhores que os meus, o maldito cuco.

indiavelha disse...

Nunca confie na minha percepção no tocante a choupos. Não fui eu! Limitei-me a defender a palavra pela palavra. By the way, o amarelo é a minha cor.

dutilleul disse...

Raios partam, não era a minha princesa mas o cuco a lançar a confusão.
São plátanos, meu caralho. Se eu digo que são plátanos é porque são plátanos. Queres fazer foto reportagens à custa das minhas interessantíssimas e pertinentes considerações sobre a miserável política florestal deste país, faz que eu deixo. Mas se eu falo em plátanos, tens de fotografar uma porra dum plátano, não é o caralho de um choupo, ouviste, meu badameco?

dutilleul disse...

Querida princesa,
é claro que o amarelo lhe vai bem. É solar.