quinta-feira, 21 de maio de 2009

às vezes acho-lhe graça mas de um modo geral quero que a Guiomar se foda *




O Ti António substituía telha velha em roupa que já fora à missa por alturas do seu casamento e andava bastante à espera de ter vagar para ir ao tanque. A roupa e o Ti António.

Bom. A razão porque vem isto ao caso está em que a mulher do Ti António - Dona Rosa é como se chama a cabra - comentava assim com outra cabra que vive mais acima: “… e depois, caem do telhado ou assim, vão parar ao hospital, e quem fica mal vista é a gente!”

___________________
* Ora bem: este magnífico apontamento da vida real, tal qual ela é e nem sempre como a pintam, estava para ser titulado com um soberbo “quandoque bonus dormitat Homerus”. Antecipando-me a eventuais comentários apanascados convirá acrescentar que não faço a menor ideia do que essa merda queira dizer, embora dê para ver que tem a palavra “Homero” o que viria muito a propósito da Dona Rosa e podia acrescentar um grande número de latinistas aos para cima de milhares de fiéis leitores (beijo-a muito, querida India. E tu, Cuco? Que é feito de ti, meu caralho?) desta magnífica coisa.
A verdade é que uma boa ideia nem sempre é compreendida e pelo sim, pelo não, que se foda a Guiomar e o Horácio.

Sem comentários: