sexta-feira, 25 de novembro de 2016

ana moura





Se repararem, nos comentários bem afundados em olés e uma ou outra cuspidela, há uma criatura que se dá ao cuidado de espirrar um "nem letra nem música é tua, chula".

O "fado" é o "lugar" com mais controleiros na música portuguesa, um "lugar" em que um grande número de fiéis do género fazem lembrar a Igreja Adventista da Sétima Internacional. Só tem autorização para cantar quem beneficia de bênção; de outro modo exigem os calores do inferno em fogareiros de barro ociosos de sardinha e febra – “já para o nosso Gulag, sua cabra!”

Razão acrescida para gostar deste corridinho desfado.

Mas isto sou eu que padeço de um ódio instintivo a todos os "géneros" musicais.

Sem comentários: