quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

telejornal (com cabeça, tronco e membro)

Ainda com o tcham-tcham-tcham que vai em cima da bola do mundo com os continentes a cuspirem notícias em alta rotação, vê-se o tiririca a ser surpreendido por um sem-abrigo que lhe pediu um cigarro. Como estava em falta de cigarros mas em imensa sensibilidade, recomendou-lhe que deixasse esse terrível mau-hábito e prontificou-se a tirar uma selfie. O repórter estava lá.

No contexto de mais uma reportagem acerca de como está frio em janeiro ("O frio de inverno já chegou"), uma transeunte de alguma idade foi interpelada acerca das suas técnicas pessoais para lhe sobreviver. Ao que a senhora respondeu que tinha umas ceroulas "por baixo disto" e dois pares de meias. Seja como for, só tinha saído à rua para comprar ovos "na loja que é já ali em baixo" e "não estava nada à espera que a mandassem parar".

Por mor de umas coboiadas que ainda ninguém percebeu muito bem (nem nunca ninguém vai perceber em toda a sua extensão), os senhores jornalistas interpelaram um senhor Salgado. Magnânimo e reluzente, respondeu: “Reclamaram a minha presença e eu vim!”. E agora? Já não pode ir de férias para o estrangeiro ou assim? "Olhe, sobre esse assunto, perguntem aí ao Proença [filho]. Tenham um muito bom ano. Está muito frio cá fora, tomem cuidado". Muito digno e lavadinho, entrou na carruagem sem esperar que o boleeiro lhe abrisse a porta. Os repórteres ficaram lá. No passeio. A falar. Sem perceberem muito bem em toda a sua extensão aquela cena do "tomem cuidado com o frio".