sexta-feira, 16 de junho de 2017

lobos e gnomos

Calhou-me agora, agora mesmo de lhe ler isto.
E o senhor a dar-lhe.
Pois eu, que como vossa senhoria pretende, "gosto de comer merda", estou em dizer-lhe que estes seus "entretenimentos" são do melhor que se vem escrevendo na minha pátria. Digo-lhe eu, que para o dizer tenho toda a autoridade do mundo que também é seu. Digo-lhe eu que li Camões, Vieira, Cardoso Pires, Correio da Manhã e um ror de merdas que aqui não cabem. Eu que li mundos com pausas de olhar o teto insisto em dizer-lhe que vossa mercê é um conas enfatuado em manhas de se impedir em consentir que este seu "entretenimento" é cânon deste ocidente ao pé do qual os seus elefantes são gnomos de gesso. E estou em dizer-lhe que se insiste em pretender que é sincero quando assim esparva, então, sabe tanto de jerónimos quanto de anões.
Como não é bem o caso, não seja chato. E sobretudo, tenha maneiras, respeite este vermelho e negro, tenha respeito pelo Lobo Antunes que tem um estômago que não é infâmia e é em tudo igual ao do Shakespeare.

(tem mesmo a certeza de que Shakespeare não escarneceria de si se o apanhasse em merdas destas?)

Não gosta, não come. Quando se joga não se apita. Remeta-se ao silêncio do que não pode falar.

Sem comentários: