quarta-feira, 13 de agosto de 2008

farmacêuticas

“…Até tenho pena do rapazinho e dos pais. Tinha olhos castanhos, era moreno, tinha a barba feita e estava muito calmo, nem me gritou nem nada.”
“…dá para ouvir a voz dele a mandar-me abrir as gavetas. Isso é que me arrepia.”
Tânia Pereirinha, citando duas técnicas de farmácia na revista Sábado (13 a 20 de Agosto).


Ai Tânia, Tânia. Com duas berlaitadas arranjaste lugar no meu coração.

Sem comentários: