domingo, 21 de junho de 2009

Ora bem, Cuco:

Não topo com assomos de prata por cima do coice, mas cuidava-te já com juízo bastante para não me vires com merdas dessas.

Eu até me dispunha à ponderação da coisa, não se desse o caso de já viver numa ilha onde não quero mais nada senão livrar-me de coisas e tarecos.

Se me pudesse inventar outra geografia também não seria mais ambicioso. Na condição de que a ilha venha provida de cocos ou qualquer outra porcaria que dê para fermentar e de uma ou outra nativa para tagarelar ao pôr-do-sol.

2 comentários:

indiavelha disse...

Vejo-me bastante aborrecida. Saio para ver as montras, e não há nada de novo. Melhor seria viver numa ilha deserta. Quem sabe tagarelaria (outra bonitíssima palavra) com os peixes.

dutilleul disse...

A menina tem jeito. Chega-lhe um sopro para me arrancar a esta remelosa preguiça.
Nem pergunto o que precisava fazer para lhe conseguir outro tanto.