quarta-feira, 4 de março de 2015

Na sumptuosa companhia do maior fiz o caminho da jorna a pensar nos melhores lugares para comer dobrada. São de dois géneros: aqueles onde episodicamente é bem feita e aqueles onde é previsivelmente memorável. Estes últimos têem em comum o facto de serem tascos que nos sobressaltam com pensamentos maus. Dos experimentados, na zona de Leiria o melhor é sem dúvida o Cordeiro. Fica algures entre Leiria e Cortes, do lado direito de quem vai. 
Na casa em frente e exatamente por cima de uma avenca amarelada, não sei se ainda é possível ler inscrição a esferográfica sobre papelucho colado à parede a fazer apelo ao obséquio de não mijar naquele local.
Bancos e mesas de pau corrido, tudo enroupado em linóleo festivo, tive um dia o privilégio de lá chegar acompanhado de seis senhoras. Devidamente avisadas - para me escusar a impropérios e demais vinganças - entraram afoitas enquanto eu manobrava o arrumo do carro (aquilo é apertado para o efeito). Dei com todas elas em círculo defensivo à maneira de búfalos que protegem crias mas viradas para dentro já que as ditas senhoras não estavam visivelmente providas de enfeites.
A bicharada em volta era toda macha, pessoal da ferrugem e coisas afins, toda com muito apetite e olhos brilhantes de onde era possível extrair a excecionalidade da dobrada que por ali se dá a experimentar.

Agora vou desligar o lume e depois conto.

(2012)

Sem comentários: