quarta-feira, 4 de março de 2015

Pela enésima vez, vejo o The Dude enquanto termino um trabalho absolutamente odioso. Bom, todo o trabalho é odioso mas aquele que faço agora, por agora ser o meu “agora”, é particularmente odioso.
Se a vida tem sentido, estou absolutamente seguro que está aqui. 
Dude é dEUS. E é ele quem nos revela o sentido da coisa. 
Ou então é a sheriffa de “Fargo”. 
Ou o gajo da botija em “No Country for Old Men”. 
Ou… ‘da-se. Deve estar por aqui.

(2013)

Sem comentários: