quarta-feira, 4 de março de 2015

Uma questão de semântica

“-Gosto de ti, mas não te amo – concluiu ele. – Mas o amor só atrapalha – acrescentou. Ela foi à casa de banho buscar a escova de dentes e os cremes. Tirou do armário a roupa que tinha levado para casa dele, enfiou tudo na mala que estava há três meses debaixo da cama e, muda dirigiu-se para a porta. Ele seguiu-a, perplexo. – Amo-te, mas não gosto de ti – respondeu ela, entregando-lhe a chave de casa.”

Tânia Ganho, autora de “Mulher-Casa”, ed. Porto Editora (in pacotinho de açúcar da Sical)

(2013)

Sem comentários: