sábado, 5 de março de 2016

parolos

“Há uma certa ‘intelligentsia’ lisboeta constituída por parolos da província”, li hoje na capa de uma revista, uma citação de um tal Rui Moreira.

Mas… ou bem que os parolos são de Lisboa ou são da província. E na segunda hipótese: Lisboa não está suficientemente provida deles? Tem mesmo de os importar?
Temos boas razões para suspeitar que “a província” não se importará nada com isso. A única coisa que “a província” tem a temer é que os parolos de Lisboa lhe ganhem afeto.

Sem comentários: