sábado, 1 de outubro de 2016

p. 179 (notas de leitura)

Saraiva almoçou bastantes vezes com Marques Mendes que chegava sempre atrasado. Levantava-se da cama e almoçava sem passar pelo pequeno almoço.
O “mendismo” tinha um truque para não darem pelos seus atrasos em dias de Conselho de Ministros: “… combinou com uma secretária do Conselho de Ministros que, antes da reunião começar, penduraria um casaco nas costas da cadeira onde ele se sentava -induzindo a ideia de que ele já ali tinha estado mas saíra”.
De onde se prova que os senhores conselheiros bem podem mandar o casaco e ficar a dormir. Nas “distritais” os debates não são mais acalorados:
“… [D]iz-se muito desiludido em relação ao PSD e aos partidos em geral. Os militantes não discutem ideias, só querem saber de lugares – é o resumo do que ele pensa. Dá exemplos de sessões partidárias em que procura lançar o debate político mas as únicas reações que obtém são perguntas acerca de lugares.”
De maneiras que se dedicou à escrita e garante que “escreveu mais de 50% dos discursos de Durão Barroso”.

Sem comentários: