segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

o nosso homem em riade

Esborratei-o aqui com a preciosa ajuda de José António Saraiva.
Pois agora, com a preciosa ajuda de J. Rentes de Carvalho, fui dar com ele a fazer de morto em Riade.
A lambuzar-se em chocolates, certamente, este volumoso cadáver terá dito - de acordo com Robbert de Witt  - que o terrorismo é “a consequência dos sentimentos de islamofobia e da orientação contrária ao Islão em certas partes do mundo.”

Sem comentários: