quarta-feira, 4 de março de 2015

http://www.youtube.com/watch?v=jA1qaOu_TDk&feature=share

Boa noite a todas e todos. 
Não é completamente impossível que vos pareça instável mas estou de direta porque passei a noite inteira – de domingo para segunda, acho que ainda é hoje - a comparar interpretações de “Ave Maria” de Schubert, sendo que há muito boa gente que não tendo desculpa de igual qualidade, não deixa de parecer outro tanto com igual intensidade.
Fiquei com dúvidas bastante razoáveis, razão porque aqui venho dar conta delas. Assim de repente parece-me que é a da Olga Szyrowa mas não sei se as da Olga Pyatigorskaya, da Tarja Turunen ou da Charlotte Church não são e tal.
Ajudem-me por favor. Vão ao youtube e façam busca com “Avé Maria” e digam-me qual a vossa favorita. Também pode ser a versão de Verdi, não ter que ser a de Schubert, até pode ser a de Caccini se tiver que ser. Fechem os olhos enquanto ouvem porque as imagens dão merda para efeitos de apreciação. Alguns exemplos alfabeticamente ordenados:

Andrea Bocelli
Barbara Bonney
Barbara Hendricks
Deanna Durbin
Helene Fischer
Jessye Norman
Luciano Pavarotti
Maria Callas
Olga Pyatigorskaya
Olga Szyrowa 
Renée Fleming
Sumi Jo (um dos vídeos corresponde a uma interpretação que teve lugar precisamente por altura da morte do pai - chorei que nem encornado porque não sou pai de nenhuma coreana e também não me sinto pater para me safar com os que por aqui tenho)
Susan Graham 
Tarja Turunen
Charlotte Church
Marion Anderson
Placido Domingo

Eu acho que os gajos não deviam ter a tentação de cantar isto mas deixo a coisa ao vosso critério, ficam apenas aqui alguns exemplos apenas para coiso.
A ideia é postar no domingo a interpretação mais votada; a minha mãe vem cá e quero que ela oiça a melhor “Ave Maria” porque sendo católica em tudo procede como sendo luterana e assim tenho que estar com ela em silêncio porque “desliga-me isso que me dói a cabeça”. 
É uma homenagem a todas as mulheres que amei e amo – todas as que conheço, praticamente nenhuma intimamente, cumpre-me acrescentar envergonhadamente – no dia das gajas.
Sejam amigos.
(Agora tenho que ir preencher o IRS porque hoje é o último dia).

(2012)

Sem comentários: