domingo, 25 de setembro de 2016

p. 94 (notas de leitura)

De onde se conhecem alguns dos oradores na última conferência associada ao último volume de um conjunto de estudos encomendados por Saraiva e com o título genérico de “Desafios de Portugal nos Alvores do Século XXI”
Tratava esse ultimo volume "de um tema que era a menina dos seus olhos [de Ernâni Lopes, autor dos estudos e, entretanto, falecido por doença]: a lusofonia. O intercâmbio entre países que têm como língua comum o português.”

“Esta conferência, realizada em 13 de maio de 2011, foi um enorme sucesso, juntando oradores, como Ricardo Salgado (que abriu a sessão), […], António Mexia (presidente da EDP), Zeinal Bava (presidente da PT), Aguinaldo Jaime (Angola) e Luís Amado (então ministro dos Negócios Estrangeiros, que encerrou a sessão.”
E, com duas exceções (que deliberadamente omito – Ramalho Eanes e Fernando Henriques Cardoso), foi a esta gente que se entregou oração pela lusofonia. Com os resultados que, pouco tempo depois, se viriam a conhecer em toda a sua plenitude …

Não consta que a meia dúzia de pessoas por quem Ernâni Lopes tinha consideração no assunto da lusofonia – Vitor Bento, António Carrapatoso ou José Poças Esteves - haja sido convidada na qualidade de oradores.

Sem comentários: