quarta-feira, 5 de outubro de 2016

p. 243 (notas de leitura)

Onde se dá notícia de um fait divers ("repetir é significar"…):

“Maria José [Nogueira Pinto] disse-me que [Paulo Portas] arrastava uma mágoa: como conservador que era, gostaria ‘de usar sobretudo e de ter uma família, mulher e filhos’, mas tal não era possível. Ou seja: a sua personalidade estava em conflito com a ideologia que perfilhava.”

É deliciosa aquela parte em que Paulo Portas gostaria de “usar sobretudo”. Fico para aqui cheio de ideias a construir um personagem cuja principal característica seria a de ambicionar “usar sobretudo".

Sem comentários: